Titulo Internas - Notícias

Blog

null

Blogs

Cultura ágil para um mundo pós-Covid

Nosso mundo mudou. A digitalização gradual deixou de ser uma recomendação evolutiva para se tornar uma necessidade urgente. Todas as empresas, administrações e outras organizações foram abaladas por um tsunami que responde ao nome de Covid-19. Sucessivas réplicas só podem ser enfrentadas a partir da solidez de uma verdadeira cultura organizacional: a cultura ágil.

Muitas empresas iniciaram sua jornada rumo à agilidade quando, anos atrás, foi destacada a importância de ter estruturas dinâmicas e organizacionais onde o talento pudesse ser valorizado. As possibilidades de desenvolver o negócio e as pessoas ao mesmo tempo fizeram com que as metodologias ágeis encontrassem um nicho importante em diferentes departamentos e áreas de negócio. Mas, hoje, é preciso dar mais um passo na agilidade evolutiva: as metodologias têm que ser incorporadas à estrutura e fazer parte do DNA de qualquer organização: você só pode ser ágil quando você é ágil.

A cultura ágil é essencial se imaginarmos o mundo que está por vir. A dinamização do negócio e a capacidade infinitesimal de resposta passarão a ser uma das qualidades básicas de qualquer empresa que se preze. Os próximos anos serão caracterizados pela presença de uma constante: a mudança. O importante é fugir das previsões e enraizar na nossa forma de compreender o mundo uma cultura de agilidade e mudança que nos garanta a adaptação a todas aquelas situações que nem sequer somos capazes de imaginar.

Por que ser ágil é ser ágil?

 

A cultura ágil é pensar ágil. A cultura ágil é ser ágil. A cultura ágil implica na integração nos processos, na estratégia e na interação de todas as peças que compõem uma empresa um mecanismo cultural que auxilia as equipes, proporcionando novas soluções e, claro, transformando os processos para serem mais produtivos, mais harmônicos e, acima de tudo, mais felizes.

Uma das consequências diretas da cultura ágil é o bem-estar e a produtividade. A interconexão das equipes e a visão dos objetivos da empresa produzem “organizações líquidas”. Uma empresa ágil não se baseia em uma hierarquia estática hierárquica; Está estruturada nos fluxos de comunicação, na interpretação dos dados e na capacidade de decisão das equipas mais próximas da solução. A cultura ágil combina velocidade, adaptação, eficiência e negócios. Não estamos falando de metodologia, estamos falando de um jeito de ser de toda uma organização, de um jeito de entender os processos e o negócio: estamos falando de cultura ágil.

 

5 benefícios de uma empresa ágil, a chave para a transformação digital

 

  1. Crescimento direto do negócio: Para qualquer empresa, transformar uma metodologia em uma filosofia autêntica (uma mentalidade) revela uma nova estrutura criativa com retorno imediato. É uma questão de cultura, não apenas uma ferramenta. É uma forma de dimensionar projetos na altura apropriada, para medir o tempo ideal e o esforço dedicado à obtenção de um resultado ideal. Quando todas as áreas de uma organização conseguem internalizar a priorização da tomada de decisões, o foco passa para a pessoa: não existe uma fórmula igual para promover, identificar e desenvolver talentos.

    Uma cultura ágil estimula a produtividade e promove o crescimento dos negócios. A resposta rápida a qualquer mudança (e hoje são muitas que enfrentamos) permite entregas do produto mínimo viável aumentando o valor agregado de qualquer projeto.

     
  2. Recursos muito humanos : Uma cultura ágil fortalece muito a área de Recursos Humanos. Longe da sua tarefa de identificar e recrutar talentos, esta área tem o papel fundamental de lançar as bases para qualquer mudança de consciência numa empresa. O desenvolvimento e internalização de uma nova mentalidade ocorre gota a gota em um ambiente colaborativo e educacional. Os profissionais de uma empresa trabalham, crescem e comunicam-se numa estrutura cultural, com dinâmicas de grupo (naturais e criadas) sob a cuidadosa orientação dos Recursos Humanos. É o terreno fértil para que a conversa se transforme em colaboração, para que cada profissional seja uma parte essencial da equipe: uma cultura ágil valoriza absolutamente todos os profissionais de uma empresa.

     
  3. Evolução e liderança : quando a cultura ágil é galopante em toda a empresa, as pessoas têm a facilidade de encontrar o lugar certo. Ter o profissional certo no lugar certo reduz o tempo de reação e, claro, o tempo para concluir qualquer projeto. Da mesma forma, a cultura é transmitida de pessoa para pessoa, horizontal e verticalmente. Sob o guarda-chuva da cultura ágil, o líder se torna um coach, a célula fundamental da mudança. Qualquer tipo de transformação requer essa liderança para inspirar sua equipe e o restante da empresa. Isso representa um enriquecimento radical do trabalho, facilita o conhecimento e permite a gestão de projetos complexos e interdisciplinares com um objetivo comum: o negócio.

     
  4. Colaboração e aprendizagem : o conhecimento da cultura ágil não pertence ao indivíduo, é algo que pertence à equipe. O sucesso dos projetos, a aprendizagem do grupo e a evolução da cultura emergem do processo como consequência do trabalho em equipe. A soma de todos os profissionais que trabalham com essa cultura é muito maior do que a soma das pessoas que a compõem. A priori, a agilidade pode gerar algum ruído porque as interações se multiplicam quando esse conceito é aplicado; O resultado é uma rica experiência de práticas, experimentações e resultados em grupos e ritmos de trabalho sustentáveis.

     
  5. Transparência: A essência da cultura ágil é dar visibilidade absoluta a tudo o que acontece. Todos os detalhes do processo devem ser transparentes, pois todos os profissionais (lembre-se que cada um deles é parte fundamental da equipe) são responsáveis ​​pelo processo e pelo produto. A agilidade pressupõe uma série de processos que revisam o planejamento, as pessoas responsáveis ​​por cada parte do projeto, o ritmo de trabalho, etc. É imprescindível que todas as pessoas tenham uma visão completa e em tempo real para poder enfrentar as mudanças, detectar impedimentos ou, em última instância, se adaptar a cada momento.

 

A Entelgy tem a cultura ágil em seu DNA, por isso pode compartilhá-la com seus clientes em cada projeto ou serviço que realiza. Temos consciência de que o mundo de hoje exige projetos flexíveis, mas também empresas flexíveis. A mudança de prioridades que o negócio pode exigir deve apresentar resultados tangíveis a partir do momento zero. A cultura ágil é a cultura da Entelgy; É a cultura da nossa equipe, de cada um dos nossos profissionais, do imediatismo e, acima de tudo, do cliente. 

00

Mais Entradas de Blog

thumbnail
thumbnail
Comentar